Google Tag Manager

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Significado de Ouro, Incenso e Mirra

Significado de Ouro, Incenso e Mirra.

Reis Magos em visita a Jesus de Nazare

Fonte: Wikipédia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%AAs_Reis_Magos

Na antigüidade, o ouro era um presente para um rei, o olíbano (incenso) para um sacerdote, representando a espiritualidade e a mirra, para um profeta (a mirra era usada para embalsamar corpos e, simbolicamente, representava a imortalidade).

Ouro puro e cristalino

Ouro

Características principais

É um metal de transição brilhante, amarelo, pesado, maleável, dúctil (trivalente e univalente) que não reage com a maioria dos produtos químicos, mas é sensível ao cloro e ao bromo. À temperatura ambiente, apresenta-se no estado sólido. Este metal encontra-se normalmente em estado puro e em forma de pepitas e depósitos aluvionais e é um dos metais tradicionalmente usados para cunhar moeda. É tão dúctil e maleável que, com apenas um grama de ouro, é possível obter um fio de 3 quilômetros de extensão e 0,005 milímetros de diâmetro, ou uma lâmina quadrada de 70 centímetros de largura e espessura de 0,1 micrômetro.[1]

O ouro puro é demasiadamente mole para ser usado. Por essa razão, geralmente é endurecido formando liga metálica com prata e cobre. O ouro e as suas diversas ligas metálicas são muito empregados em joalherias, fabricação de moedas e como padrão monetário em muitos países. Devido à sua boa condutividade elétrica, resistência à corrosão e uma boa combinação de propriedades físicas e químicas, apresenta diversas aplicações industriais.

História

Antiga moeda em ouro.

O ouro é conhecido desde a Antiguidade, sendo certamente um dos primeiros metais trabalhados pelo Homem. Conhecido na Suméria, no Egipto existem hieróglifos egípcios de 2600 a.C. que descrevem o metal, que é referido em várias passagens no Antigo Testamento. É considerado como um dos metais mais preciosos, tendo o seu valor sido empregue como padrão para muitas moedas ao longo da história.

Incenso resina

Olíbano, também conhecido como franquincenso, é uma resina aromática muito usada na perfumaria e fabricação de incensos. É obtido de árvores africanas e asiáticas do gênero Boswellia.

O nome franquincenso refere-se a sua proeminência como o "verdadeiro" ou "franco" incenso, jáolíbano é derivado do árabe al-lubán ("o leite"), em referência à seiva leitosa que sai ao golpear a árvore de olíbano.

O olíbano é usado generosamente em ritos religiosos. De acordo com o Evangelho de Mateus 2:11,ouro, olíbano e mirra foram os três presentes dados a Jesus pelos Reis Magos que vinham do oriente. O surgimento do Cristianismo empobreceu o mercado do olíbano durante o século IV, a desertificação fez com que as rotas de caravanas que cruzavam sobre o Rub' al-Khali se tornassem mais difíceis e o incremento das incursões dos nômades no Oriente Próximo facilitaram o fim do comércio do olíbano ao redor do ano 300.

Diz a lenda que o imperador romano Nero queimou durante um ano olíbano valioso para a cidade de Roma no funeral de sua esposa,Poppaea.

O olíbano tem sido importante fonte de renda para a região nordeste da Etiópia. Diz na Bíblia que a rainha de Sabá conhecedora da famosa sapiência do rei Salomão, partiu do seu reino e o ofertou com valioso presentes,entre eles o Incenso de Olíbano.

Mirra

A mirra foi, além de ouro e incenso, um dos três presentes dados ao Menino Jesus pelos Reis Magos, no Evangelho de Mateus.

 

Mirra arvore

Acima, arvore de Mirra de onde se extrai a resina.

 

Mirra em resina

Acima, resina de Mirra.

A mirra é uma árvore espinhosa, de folhas caducas, que pode atingir 5 metros de altura, com flores vermelho-amarelo, e frutos pontiagudos. É nativa do nordeste da África (Somália e partes orientais da Etiópia) encontra-se também no Médio Oriente, Índia e Tailândia. Cresce em matas e prefere solos bem drenados e muita exposição ao sol.

Propaga-se por sementes, na Primavera, ou por estacas ao fim do estágio de crescimento. É também o nome dado à resina colhida de fissuras abertas na casca da árvore de nome botânico Commiphora molmol, que depois de seca se transforma em grânulos de coloração amarela-avermelhada. A palavra mirra origina-se do hebraico maror ou murr, que significa "amargo".